quarta-feira, 30 de junho de 2010

terça-feira, 29 de junho de 2010

ASSALTO

video

domingo, 27 de junho de 2010

sábado, 26 de junho de 2010

PAÍS DE LADRÕES

CHEGOU A HORA DE IR PARA RUA!!!!! OU PARA A PRISÃO!!!!!!

Proposta para Condecoração de Valentim Loureiro

Uma vergonha!!!


PASME-SE A SER VERDADE, BATEMOS MESMO NO FUNDO!!!


Embora o seu curriculum seja, por ora, insuficiente para preencher um alto cargo de Estado, entendemos que, pela sua natureza, perfil e reconhecidos serviços prestados à Nação, deverá ser condecorado com a Grã Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, por serviços relevantes a Portugal, no país e no estrangeiro, pelos serviços de expansão da cultura portuguesa, sua história e seus valores.



Este gajo foi julgado e condenado em tribunal militar por andar a vender munições ao PAIGC que matavam os nossos soldados na Guiné. Foi também condenado por roubar as rações do exército para lucro próprio.

Foi desgraduado de capitão para soldado e expulso, com desonra, do exército.

Foi, depois do 25 de Abril, readmitido e promovido a Major pelo Conselho da Revolução.

É cônsul honorário da Guiné-Bissau e usa esse título para falsificar certidões de nascimento de jogadores e potenciais jogadores de futebol que compra e vende como se faz aos escravos.

Roubou 40.000 contos ao BCP com uma transacção com um cheque em USD sacado sobre um banco que não existia.

E isto dos programas para os reformados é que é inacreditável?

Inacreditável é o apoio dos sucessivos líderes do PPD/PSD até ao advento da liderança de Marques Mendes, inacreditável é o apoio explícito de Sócrates.

Inacreditável é o processo Apito Dourado demorar tanto tempo.

Inacreditável é este gajo não estar na prisão.

Inacreditável é ele receber uma pensão do nosso exército, como Major na reserva. Lembro que Major é um Oficial Superior.

Inacreditável, não, esta é a realidade.

Ao que este País chegou!.. Só vigarices atrás de vigarices...

LAZER

video

segunda-feira, 21 de junho de 2010

JOSÉ SARAMAGO

Propositadamente, não escrevi nenhuma consideração enquanto o corpo não foi cremado. Mas, depois de cumpridos os ritos de respeito perante um ser humano não recuso a considerar, que esteve bem o Presidente da República ao enviar apenas um representante às cerimónias.
Porque razão o povo português tinha teria que venerar uma personalidade que sempre quis renegar as origens históricas cristãs do país. Uma personalidade em estado avançado da sua idade foi defendendo que a Espanha anexasse Portugal.
Que respeito deve merecer uma personalidade que cultivava o pensamento puro e duro do marxismo (igualdade de classes) sob o jugo de um centro de poder único, mas depois a sua prática de vida era incoerente com a ideologia.
Respeito a morte de um ser humano, mas não me vergo à sua obra e considero condenável que os alunos do secundário sejam obrigados a estudar um escritor, que altera tudo que se aprende no modo de escrever e ler língua portuguesa.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

ASSIM VAI A NOSSA EDUCAÇÃO!

*As melhores frases dos piores alunos, retiradas dos exames nacionais 2008/2009 do 12º ano*


*O Convento dos Capuchos foi construído no céculo 16 mas só no céculo 17 foi levado definitivamente para o alto do monte.*

*A História divide-se em 4: Antiga, Média, Momentânea e Futura, a mais estudada hoje*

*O metro é a décima milionésima parte de um quarto do meridiano terrestre e para o cálculo dar certo arredondaram a Terra! *

*Quando o olho vê, não sabe o que está a ver, então ele amanda uma foto eléctrica para o cérebro que lhe explica o que está a ver.*

*O nosso sangue divide-se em glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e até verdes! *

*Nas olimpíadas a competição é tanta que só cinco atletas chegam entre os dez primeiros.*

*O piloto que atravessa a barreira do som nem percebe, porque não ouve mais nada.*

*O teste do carbono 14 permite-nos saber se antigamente alguém morreu.*

*O pai de D. Pedro II era D. Pedro I, e de D. Pedro I era D. Pedro 0*

*Em 2020 a caixa de previdência já não tem dinheiro para pagar aos reformados, graças à quantidade de velhos que não querem morrer.*

*O verme conhecido como solitária é um molusco que mora no interior, mas que está muito sozinho.*

*Na segunda guerra mundial toda a Europa foi vítima da barbie!

*O hipopótamo comanda o sistema digestivo e o hipotálamo é um bicho muito perigoso.*

*A Terra vira-se nela mesma, e esse difícil movimento chama-se arrotação.*

*Lenini e Stalone eram grandes figuras do comunismo na Rússia.*

*Uma tonelada pesa pelo menos 100Kg de chumbo.*

*A fundação do Titanic serve para mostrar a agressividade dos ice-bergs.*

*Para fazer uma divisão basta multiplicar subtraindo.*

*A água tem uma cor inodora.*

*O telescópio é um tubo que nos permite ver televisão de muito longe.*

*O sul foi posto debaixo do norte por ser mais cómodo.*

*Os rios podem escolher desembocar no mar ou na montanha.*

*Os escravos dos romanos eram fabricados em África, mas não eram de boa qualidade.*

*A baleia é um peixe mamífero encontrado em abundância nos nossos rios.*

*Newton foi um grande ginecologista e obstetra europeu que regulamentou a lei da gravidez e estudou os ciclos de Ogino-Knaus. *

"Ao princípio os índios eram muito atrasados mas com o tempo foram-se sifilizando.*

*A Terra é um dos planetas mais conhecidos e habitados do mundo.*

*A Latitude é um circo que passa por o Equador, dos zero aos 90º.*

*Caudal de um rio, é quando um rio vai andando e deixa um bocadinho para trás!*

*Princípio de Arquimedes: qualquer corpo mergulhado na água, sai completamente molhado. *

quinta-feira, 17 de junho de 2010

CITANDO FERREIRA FERNANDES

O futebol pode ter muitas incertezas mas há dois factos universalmente aceites:
O futebol africano é tacticamente fraco e a força do futebol europeu é a táctica.
Ambas as considerações ficaram amplamente confirmadas no Costa de Marfim-Portugal:
1) o futebol, que foi definido por um tacticista vindo de Torsby, Suécia, Europa, portou-se bem;
2) o futebol do professor de Nampula, Moçambique, África, levou um baile.
O futebol, como se vê, tem leis. Pena é que o futebol não seja reconhecido como uma ciência social, o que levaria de vez o tal professor para o seu lugar natural, ensinar no ISCTE (Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa).
Isso levaria a greves académicas? Talvez, mas o interesse geral nacional estaria salvaguardado.
É o que se me oferece dizer sobre o jogo de ontem em Port Elizabeth, em que os marfinenses fizeram de Port e nós de Elizabeth.
Voltemo-nos para o futuro.
Vem aí a Coreia do Norte.
A táctica já sabem qual vai ser: sermos inteligentes.
Como disse o professor Carlos Queiroz do jogo de ontem: "A Costa do Marfim queria que a gente arriscasse e assumisse o jogo, mas fomos inteligentes."
Os norte-coreanos, malandros, também vão querer que a gente jogue, mas vamos ser inteligentes, não jogamos.
E, isso, não jogar, esta selecção de Queiroz sabe fazê-lo melhor do que ninguém.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

OUVI DIZER - 34

TAMBÉM EU QUERO SER COMUNISTA !!!!!!!!

Odete Santos… Pasmem!

Declaração de rendimentos da camarada Odete Santos


Declaração de 2005

Deputada e Presidente da Assembleia Municipal de Setúbal
Trabalho dependente - 48.699,48€
Trabalho Independente - 6.860,19€
Rendimentos prediais - 1.369,38€


Património Imobiliário - 1 prédio urbano em Setúbal, 1 fracção em Setúbal, 3 prédios rústicos na Guarda, 22 prédios rústico na Guarda

Automóveis- 1 ligeiro Lancia.
Contas Bancárias- Certificados de aforro do Instituto de Gestão Financeira no valor de 2.400.000 mil €.

Mais 5 certificados de aforro no valor de:


300 mil €, ... 621 mil €, ... 400 mil €, .. 1.613.000 mil €, ... 391 mil €

ASSIM, SIM... VALE A PENA

ASSIM, EU TAMBÉM QUERO SER COMUNISTA!!!!!!

Bib’ó Capitalismo da camarada Odete, carago!!!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

OUVI DIZER - 33

RTP paga salários ofensivos...você sabia? pois é..."isto é que vai uma crise!".


Que raio de Ministérios de Tutela e que atenção tem um um Parlamento para se permitirem desiquilíbrios destes.


*Judite de Sousa* *(14.720 euros)*,
*José Alberto de Carvalho (15.999 euros)
* e *José Rodrigues dos Santos (14.644 euros)*, o dobro do que recebe o primeiro-ministro José Sócrates e muito mais que o Presidente da República.

José Alberto Carvalho tem como vencimento ilíquido e sem contar com as ajudas de custos a quantia de 15.999 euros por mês, como director de informação. A directora-adjunta. Judite de Sousa, 14.720 euros. José Rodrigues dos Santos recebe como pivôt 14.644 euros por mês. O director-adjunto do Porto, Carlos Daniel aufere 10.188 euros brutos, remunerações estas que não contemplam ajudas de custos, viaturas Audi de
serviço e mais o cartão de combustíveis Frota Galp.

*De salientar que o Presidente da República recebe mensalmente o salário ilíquido de 10.381 euros e o primeiro-ministro José Sócrates recebe 7.786 euros*

Outros escândalos:*

- Director de Programas, José Fragoso: 12.836 euros

- Directora de Produção, Maria José Nunes: 10.594

- Pivôt João Adelino Faria: 9.736

- Director Financeiro, Teixeira de Bastos: 8.500

- Director de Compras, Pedro Reis: 5.200

- Director do Gabinete Institucional (?), Afonso Rato: 4.000

*- Paulo Dentinho, jornalista: 5.330*

*- Rosa Veloso, jornalista: 3.984*

*- Ana Gaivotas, relações públicas: 3.984*

- Rui Lagartinho, repórter: 2.530

- Rui Lopes da Silva, jornalista: 1900

- Isabel Damásio, jornalista: 2.450

- Patrícia Galo, jornalista: 2.846

- Maria João Gama, RTP Memória: 2.350

*- Ana Fischer, ex-directora do pessoal: 5.800*

- Margarida Neves de Sousa, jornalista: 2.393

*- Helder Conduto, jornalista: 4.000*

- Ana Ribeiro, jornalista: 2.950

*- Marisa Garrido, directora de pessoal: 7.300*

*- Jacinto Godinho, jornalista: 4.100*

- Patrícia Lucas, jornalista: 2.100

- Anabela Saint-Maurice: 2.800

*- Jaime Fernandes, assessor da direcção: 6.162*

- João Tomé de Carvalho, pivôt: 3.550

- António Simas, director de meios: 6.200

*- Alexandre Simas, jornalista nos Açores: 4.800*

- António Esteves Martins, jornalista em Bruxelas: 2.986 (sem ajudas)

*- Margarida Metelo, jornalista: 3.200*

sábado, 12 de junho de 2010

COMBATENTES





No passado dia 10 (Dia de Portugal) pela primeira vez pude assistir à habitual homenagem aos Combatentes. Fi-lo recordando muitos momentos da História de Portugal e dos valores pelos quais ainda continuo a lutar e acreditar.
Os tempos mudaram e evoluíram há muito por fazer neste Mundo desestruturado e a Lusofonia tem uma forte presença.
Olhando para muitos dos anónimos presentes dois pensamentos retive:
1. Esteve bem a Presidência da República ao promover pela primeira vez a homenagem pública aos Combatentes nas comemorações oficiais do 10 de Junho e por esta razão, de igual modo concordo que as Associações socioprofissionais não têm cabimento neste âmbito.
2. É chegado o momento de reforçar os laços de amizade e fraternidade com os combatentes que na Guerra do Ultramar estiveram do outro lado, acreditando em valores idênticos aos portugueses, lutavam pela Terra.
Neste último grupo, não posso aceitar a inclusão daqueles que ingressando nas Forças Armadas e desertaram. Espero e desejo que Portugal não venha ter um futuro Presidente da República que no seu curriculum conste a deserção.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

OUVI DIZER - 32

POR QUE RAZÃO ISTO NÃO PASSOU CÁ NAS TELEVISÕES....??????????

CRISE ???? QUAL CRISE??? PARA QUEM ????"


http://www.youtube.com/watch_popup?v=m2B7RWJY--A

O Mundial de Futebol e as missões militares no exterior

Por Brandão Ferreira

A Selecção Nacional de futebol de 11, começa a 5 de Junho uma missão no exterior: vai participar no Campeonato Mundial da modalidade que se realiza na República da África do Sul (RAS); e tem um objectivo que é a de defrontar e, se possível, vencer as equipas que lhe calharem em sorte, até ao derradeiro jogo final. Em qualquer dos casos jogar bem, esforçar-se e cumprir os deveres associados.
As Forças Armadas Portuguesas (Fas) e a GNR têm, neste momento, várias unidades suas destacadas em diferentes teatros de operações com perigosidade variável, a saber: cerca de 200 homens no Afeganistão; 300 no Kosovo; 12 na Bósnia; 130 no Líbano, cerca de 40 homens a operar no Corno de África e 120 em Timor. Em cooperação técnico-militar nos PALOPs, existirão uns 30 e outros 40 estão distribuídos por diferentes quartéis-generais. Há cerca de 20 anos que assim é, tendo já sido mobilizados cerca de 30000 homens para mais de 30 países diferentes. A sua missão é o de participarem em missões humanitárias, de paz e de imposição de paz, no âmbito das organizações ou alianças de que Portugal faz parte

OUVI DIZER - 31

PORQUE ESTAMOS NA FALÊNCIA??????

420.000,00 € TAP administrador Fernando Pinto
371.000,00 € CGD administrador Faria de Oliveira
365.000,00 € PT administrador Henrique Granadeiro
250.040,00 € RTP administrador Guilherme Costa
249.448,00 € Banco Portugal administrador Vítor Constâncio
247.938,00 € ISP administrador Fernando Nogueira
245.552,00 € CMVM Presidente Carlos Tavares
233.857,00 € ERSE administrador Vítor Santos
224.000,00 € ANA COM administrador Amado da Silva
200.200,00 € CTT Presidente Mata da Costa
134.197,00 € Parpublica administrador José Plácido Reis
133.000,00 € ANA administrador Guilhermino Rodrigues
126.686,00 € ADP administrador Pedro Serra
96.507,00 € Metro Porto administrador António Oliveira Fonseca
89.299,00 € LUSA administrador Afonso Camões
69.110,00 € CP administrador Cardoso dos Reis
66.536,00 € REFER administrador Luís Pardal: Refer
66.536,00 € Metro Lisboa administrador Joaquim Reis
58.865,00 € CARRIS administrador José Manuel Rodrigues
58.859,00 € STCP administrador Fernanda Meneses
3.706.630,00 €

51.892.820,00 € Valor do ordenado anual (12 meses + subs Natal + subs férias)
926.657,50 € Média Prémios
52.819.477,50 €

900,00 € Média de um funcionário público

58.688,31 - nº de funcionários públicos que dá para pagar com o mesmo dinheiro

quinta-feira, 10 de junho de 2010

SEGREDO

Este é o meu segredo...

Vou deixar a Maçonaria.

Jamais irei afirmar que

nunca revelarei seus segredos

Devo admitir que

suas ações são discretas.

Entretanto declaro que

seus integrantes nada fazem

E não acredito que

existe uma grande fraternidade

Afirmo categoricamente que

deixarei a Maçonaria.

E nunca vou dizer que

Ela é JUSTA E PERFEITA

Devo enfatizar esta verdade;

Sobre a Maçonaria...

CÚMPLICES DA ESCRAVIDÃO E DO COMÉCIO DE ESCRAVOS

Por: Filipe Zau*

Geoffrey Norman Blainey é um prestigiado académico australiano, que começou por leccionar na Universidade de Melbourne a cadeira de História Económica, em 1968 e de História, em 1977, tornando-se, mais tarde, decano da Faculdade de Artes desta mesma instituição. Hoje, é também professor da Universidade de Harvard, tendo recebido, em Nova Iorque, o International Britannica Award, pelo seu trabalho na difusão do conhecimento em prol da humanidade. Autor de mais de 32 livros lançou, em 2004, o seu mais recente trabalho de investigação “A Short History of the World”, que, em 2010, surge, já em 2ª edição, através da Editora Fundamento, nos escaparates das livrarias brasileiras, com o título de “Uma Breve História do Mundo”.

Um dos muitos aspectos relevantes desta obra está relacionado com um conjunto de informações sobre África, um continente, normalmente, ignorado ou, no mínimo, pouco referenciado e, não raras vezes, mal tratado, dada a conotação marcadamente eurocêntrica levada a cabo por muitos investigadores ocidentais na interpretação dos factos históricos. Procurei dedicar uma particular atenção à questão do tráfico de escravos e deparei-me com interessantes aspectos, que, se nos afastarmos dos aspectos doutrinários e ideológicos – tal como exige a metodologia de investigação em ciências sociais, para que a interpretação dos factos seja o mais próximo possível da realidade objectiva – somos, necessariamente, obrigados a aceitá-los e a estudá-los devidamente, atendendo ao seu pertinente valor epistemológico.

A abordagem sobre as sociedades escravocratas nos conteúdos programáticos do nosso ensino situa-nos, quase exclusivamente, na antiguidade clássica da Europa Ocidental – mais precisamente nas cidades-Estado da Grécia e em terras governadas pelo Império Romano – bem como também no continente africano e americano. Neste contexto, as populações africanas dominadas pelas diferentes administrações coloniais europeias, ou eram escravizadas no seu próprio continente ou, então, embarcadas em navios negreiros para serem fixadas na Europa e, maioritariamente, no Novo Mundo. Contudo, nada nos é revelado em relação: à China antiga, que também possuía milhões de escravos, cuja prática comercial se estendeu até 1908; à Índia que, antes e depois de Cristo, também tinham escravos; às comunidades ameríndias que, muito antes da chegada de Colombo, possuíam escravos e semi-escravos; à Rússia que manteve o regime de escravatura até à mesma década em que a escravidão nos Estados Unidos, por força da 13ª Emenda Constitucional, chegou ao fim, em 1865; aos próprios africanos que, antes dos navios europeus começarem a transportar escravos de África, já eram também comerciantes de escravos.

Segundo Geoffrey Blainey, desde 1500 foram, provavelmente, vendidos mais escravos africanos às terras islâmicas do que às terras cristãs, sendo os muçulmanos os seus principais comerciantes em África. Presume-se até que, este tipo de comércio tenha começado em África, bem antes do próprio Islão ter descido à África subsahariana. Em África, muitas das pessoas chegaram a ser escravizadas pelos seus próprios pais, que, às vezes, vendiam os filhos, bem como irmãos chegavam a vender irmãos, algo que a perspectiva mais afrocêntrica da histórica de África também não nos revela. Estima-se que, “talvez metade dos escravos que terminaram os seus dias em terras ou regiões estrangeiras tenham sido escravizados pelo grupo ou sociedade africana da qual faziam parte. Em África, os escravos eram geralmente devedores, criminosos, desajustados, rebeldes e, principalmente, prisioneiros de guerra”. Mas tal também ocorreu na Ásia, na América e na Europa, como tivemos oportunidade de constatar.

No século XVI, a maioria dos escravos exportados da parte ocidental de África eram mulheres vendidas para as terras islâmicas. Já no século XVII, a maioria deles eram homens destinados às colónias cristãs da América. Inicialmente, o cristianismo, o judaísmo e o islamismo consideravam que a escravatura era uma instituição antiga e útil, na qual não se deveria mexer. Os portugueses foram os pioneiros do comércio de escravos para o Novo Mundo. Mas, segundo Luís Ramos Tinhorão, tudo parece indicar que, nos fim do século XIV, se realizava um intenso comércio internacional com o Norte de África e entre as mercadorias negociadas por venezianos, genoveses, espanhóis e portugueses encontravam-se, naturalmente, os escravos.

Segundo Oliveira Marques, os primeiros escravos negros que foram levados para Portugal por Antão Gonçalves, em 1441, eram do norte da Mauritânia. Entre 1441 e 1448, chegaram, no mínimo, mil escravos, ou mais, aquele reino e na década de 1450, passaram a entrar, anualmente, uma média de 700 a 800 escravos via Algarve ou Lisboa. Também eram usados pelos portugueses escravos negros nas plantações de açúcar nas Ilhas de Cabo Verde e da Madeira. Posteriormente, os britânicos e outras nações de navegadores logo se juntaram a este desumano e lucrativo comércio. A maior parte do açúcar consumido na Europa era cultivada por escravos africanos que trabalhavam no exílio.

Será que, à época, foi o sentimento humanista dos americanos e dos países europeus mais desenvolvidos que levou ao término do tráfico negreiro ou, simplesmente, foi o interesse comercial para a venda das máquinas a vapor, logo após a revolução industrial, em 1820, que determinou o fim deste desumano comércio? A história mostra-nos que, desde sempre e em qualquer parte, o fundamentalismo da lógica do lucro pouco ou nada se compadece com o respeito pela equidade e espírito de solidariedade que, teoricamente, nos dias de hoje, ainda reclamamos como imprescindíveis para um mundo melhor.

terça-feira, 8 de junho de 2010

VERGONHA

video

ANIMAIS

video

segunda-feira, 7 de junho de 2010

LISTA NEGRA

Potugal entrou hoje para a História Negra da Humanidade e da socidade em geral. Realizou-se o primeiro contrato para juntar duas pessoas do mesmo sexo.

Como usar a aspirina no ataque cardíaco, em caso de emergência

Uma Nota importante sobre os ataques cardíacos:

Fique sabendo que há outros sintomas de ataques cardíacos, para além da dor no braço esquerdo.
Deve também prestar atenção a uma dor intensa no queixo, assim como às náuseas e aos suores abundantes, pois estes também não são sintomas vulgares.
Detalhe: Pode-se não sentir nunca uma primeira dor no peito, durante um ataque cardíaco. 60% das pessoas que tiveram um ataque cardíaco enquanto dormiam, já não se levantaram.
Porém... a dor no peito, pode acordá-lo dum sono profundo.
Se assim for, dissolva imediatamente duas Aspirinas na boca e engula-as com um pouco de água.
Em seguida, ligue para o 112 e diga 'ataque cardíaco' e que tomou 2 Aspirinas.
Sente-se numa cadeira ou sofá e espere pela chegada dos atendentes da Emergência do 112 e ... ...NÃO SE DEITE!!!!

domingo, 6 de junho de 2010

Um Governante Mentiroso ou um falso Britânico?

Citando Hugo:

"No fim-de-semana passado foi denunciado na comunicação social o escândalo que envolve o nosso Vice Ministro das Telecomunicações. Soube-se agora que este overnante é também súbdito da Rainha Isabel de Inglaterra.

Pode um político angolano ter dupla nacionalidade? Não existe na lei em vigor nada que contrarie esta possibilidade ou impeça que alguém com dupla nacionalidade possa vir a ser nomeado para cargos públicos de importância vital para o país. Facto que não impede, a nosso ver, que existam questões de natureza ética que se sobreponham a esta possibilidade. Desde logo, a de saber quais as circunstâncias em que a outra nacionalidade é adquirida, e em que momento da vida deste político, o foi. Independentemente da resposta a todas as questões, a verdade é que ficamos sem saber que interesses defenderá o Vice Ministro Safeca numa questão que envolva os países de Angola e Reino Unido. Em momento algum a decisão que tomar será tida como uma decisão honesta, por parte de quaisquer dos países.

Se a realidade da dupla nacionalidade é uma realidade dura e inaceitável, especialmente pelo facto de ter sido ocultada de todos os angolanos, e naturalmente de S. Exa. o Presidente da República, que o nomeou, a sua negação perante a evidência do facto descoberto, torna esta realidade ainda mais hedionda e gravosa. Estamos a passar de um Vice-Ministro sem ética política, para um Vice-Ministro que não fala com verdade, ou pelo menos que a oculta da forma mais evidente e cínica, negando-a. E agora, queremos um Vice-Ministro inglês e mentiroso?

Mais. Diz-nos o Semanário Angolense que o Vice-Ministro Safeca concedeu a entrevista para responder aos factos referidos, fazendo-se acompanhar do Dr. Carlos Baptista, advogado e Director dos Serviços Jurídicos do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação. É legítima a utilização deste serviço do Ministério para questões privadas? Parece que o Vice-Ministro viu no jornalista do Semanário Angolense o Magistrado do Ministério Público ou o próprio Magistrado Judicial, a quem teria de responder num processo de investigação ou instrução. Nesta perspectiva, o senhor Vice-Ministro viu-se de imediato na obrigação de se fazer acompanhar de um advogado para o representar. Esqueceu-se foi de mandatar um e que, para questões particulares e que não respeitem a assuntos do Ministério não pode usar os serviços do jurista do próprio Ministério, sob pena de utilização de fundos públicos para fins privados. Mas se o Vice-Ministro não conseguiu fazer esta diferenciação entre interesses privados e interesses públicos, não deveria o próprio advogado fazê-lo? Cumprindo assim a sua função enquanto Director dos Serviços Jurídicos do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, e defensor dos interesses deste Ministério, acima de tudo? Que outros serviços terá o Dr. Carlos Baptista prestado já para o senhor Vice-Ministro a título particular? Terá avenças contratadas nas empresas daquele?

E falando em empresas do Vice-Ministro, impõe-se a pergunta que negócios celebrou a empresa Microship Trading com o Estado Angolano? E quem foi o principal responsável pela adjudicação de tais contratos? Sabe-se que esta empresa foi detida até 2008 pelo Vice-Ministro Safeca que ali exerceu funções de Direcção. Quando confrontado com a existência de negócios celebrados entre o Estado Angolano e esta empresa inglesa, o Vice-Ministro, agora nas palavras do Dr. Carlos Baptista, que passou a falar por ele, não negou a existência de tais negócios. Depois, numa clara tentativa de deturpação da realidade, o Dr. Carlos Baptista afirmou que, referindo-se ao período entre 1998 e 2008 em que o Vice-Ministro Safeca era o Director Nacional das Telecomunicações, o Vice-Ministro “não representava a mesma entidade”.

Ora, o que nos parece é que, exactamente por estar a representar entidades diferentes é que os benefícios aparecem para a entidade Aristides Cardoso Frederico Safeca particular de forma acrescentada. Não deixa de ser curioso o facto do objecto social desta empresa do Vice-Ministro estar intimamente ligada com as funções públicas e políticas que tem desenvolvido. Haverá melhor cargo de direcção de uma empresa do que aquele que é exercido por um Vice-Ministro corrupto responsável pelo pelouro correspondente ao objecto social dessa empresa? Esperemos, pelo menos, que sejam pagos os impostos sobre o lucro!!

Todas estas contradições, mentiras e factos mal explicados não abonam em nada a favor da actuação e credibilidade do Vice-Ministro Safeca. Pelo contrário, causam desconfiança e curiosidade de saber mais. Os dinheiros do Estado estão a ser utilizados de forma altamente egoísta, para satisfação de interesses e necessidades muito próprias e particulares deste Governante, que nem a hombridade tem de dar a conhecer a sua própria nacionalidade. Os interesses do Estado estão acima de qualquer coisa e de qualquer interesse. É o interesse de todos nós que está a ser posto em causa, por causa da ganância e desonestidade de um só.
Perante os factos que agora vieram a lume, não podemos deixar de pensar que mais tem o Vice-Ministro Safeca escondido de nós? Que negócios e quais os valores estiveram envolvidos na empresa Microship Trading? Compete-nos agora ir ver os negócios celebrados pelas empresas de Telecomunicações em Angola para verificarmos quais as ligações directas ou indirectas com o Vice-Ministro. Damos exemplos, estarão as empresas Omnidata, Startel e MundoTelecom livres de alguma suspeita? Que tipo de fornecimentos prestaram estas empresas ao Estado Angolano e quem mais terá beneficiado dos mesmos?

Senhor Vice-Ministro Safeca, assuma agora as suas responsabilidades, diga aos angolanos o que mais nos esconde. O dinheiro é nosso, e temos o direito de saber o que está a ser feito com ele. E mais, não queremos responder a Sua Majestade a Rainha Isabel de Inglaterra. Está na hora de regressar à sua terra pátria!

sábado, 5 de junho de 2010

REFLEXÃO

"A JUSTIÇA NÃO ESTÁ EM CRISE, ESTÁ NUM ESTADO LATENTE PERMANENTE"

quinta-feira, 3 de junho de 2010

PENSAMENTO MATINAL

"NADA É TÃO DESIGUAL COMO UM TRATAMENTO IGUAL PARA DESIGUAIS"