domingo, 26 de setembro de 2010

OUVI DIZER - 40

Recebi uma informção que reporto idóneo a qual traduz o mal-estar nas FA's:

DE: Grupo de Oficiais Generais indignados com o CEMGFA
PARA: Jornalistas e Políticos

ASS: Espiões Militares, confusões de um CEMGFA

É natural que este tipo de correspondência cause estranheza e desconfiança. No entanto pedimos que leia este comunicado e realize um pequeno exercício de reflexão e, no fim, conclua se temos razão, ou não.

O General Valença Pinto, actual CEMGFA, é um produto radioativo para o poder político. É o paradigma acabado de um certo tipo de Oficial, burocrata, sem experiência Operacional, com uma ética rasteira, muito do agrado de um certo poder político que confunde muitas vezes subalternização com submissão. No entanto, face à idade avançada a que ascendem ao generalato e à imagem que têm de si próprios, este tipo de oficiais desenvolvem no seu interior uma revolta profunda e um desrespeito total pelo poder político a que estão submetidos e em vez de colaborarem com este, para o fim supremo, que é o bem nacional, desenvolvem agendas pessoais.

O General Valença Pinto realizou um ascenção burocrática pouco relacionada com o produto operacional. É um Oficial de Estado-Maior que nunca esteve no terreno, ou realizou operações reais. Pior do que isso, quanto à transformação das Forças Armadas diz respeito, assume-se conhecedor de soluções que não entende, pois nunca as viveu, ou praticou, nomeadamente as operações conjuntas. Daí a sua fácil confusão entre integração e operações conjuntas. Apresenta-se deste modo, nas suas atitudes, como um Chefe do Estado-Maior do Exército mais antigo e que interfere continuamente nas decisões do General Pinto Ramalho.

Indo directamente ao assunto dos espiões militares, o que deve ter acontecido é que o General Valença Pinto acordou um belo dia com a ideia peregrina de fazer um figuraço, mostrando que o recentemente recriado Centro de Informações e Segurança Militar (CISMIL) na sua dependência, ia para a Guerra, nos teatros mais difíceis do Afeganistão e do Líbano. Nesta ideia misturaram-se de forma explosiva os seguintes ingredientes:
• A ignorância forçada dos Políticos sobre como se conduzem operações militares, pois são manipulados, informados e dirigidos por um CEMGFA perigoso manipulador e megalómano;
• A ignorância forçada da Comunicação Social, pois acaba por ser intoxicada pela própria entorage deste manipulador, que coloca os seus talibãs no terreno a produzir declarações obscurantistas;
• A profunda ignorância do CEMGFA relativamente à forma como se processa este tipo de operações no terreno;
• A completa falta de senso e de ética do General CEMGFA;


Ora analisemos os factos. Todas as Forças militares no terreno têm, necessariamente, na sua organização uma célula de análise e tratamento de dados que suporta o planeamento. A célula de análise é, na designação dos Estados-Maiores, a 2ª Divisão, mais conhecida como Divisão de Informações. A célula de Planeamento é a 5ª Divisão. A 2ª Divisão do Estado-Maior não recolhe informações. Estas, são recolhidas no terreno pelos militares da própria força e depois são sistematizadas nessa célula. Também podem ser recebidas de outras Forças a operar no terreno, através de contactos bilaterias, ou da estrutra macro em que esta se insere, como seja a OTAN. Na essência, estes militares da 2ª Divisão, ou Divisão de Informações, estão no Quartel-General, bem protegidos e são, de todos, aqueles que correm menos riscos no terreno. Aliás, só quem nunca esteve integrado em Forças Internacionais podia crer que os EUA permitiriam que espiões Portugueses saissem para o terreno, claro está, a falar Pashtu da Cova da Moura e tirocinados na prática da Praça da Figueira, com o perigo de virem a ser degolados em espetáculo transmitido para o Mundo inteiro via CNN.

O que o manipulador sem ética, CEMGFA, quis foi fazer um brilharete, induzindo nos políticos e na comunicação social uma importância excessiva de um serviço novo sob sua dependência, que precisa de mostrar trabalho, fazendo crer que andavam no terreno misturados com a população, ou forças opositoras, em acções secretas de elevado valor estratégico. É claro que o tiro saiu-lhe pela culatra. Por isso pediu ao General Loureiro dos Santos para, de forma disfarçada, dizer que afinal os espiões não eram espiões, mas burocratas militares que tratam informações... no quentinho do Quartel-General.

Pode-se concluir que o CEMGFA, com as suas torpes tácticas, está a desprestigiar as Forças Armadas e o País, com uma postura pseudo intelectual, que esconde uma profunda ignorância Operacional relativamente às Informações Militares e aos Serviços Secretos.

Não podemos acabar este comunicado sem referir que este CEMGFA será muito provavelmente recordado como o promotor dos Sindicatos Militares nas Forças Armadas. Pois cometeu todos os erros possíveis e impossíveis nos processos de reorganização das Forças Armadas, em especial na LOBOFA, na LOEMGFA e na Reforma da Saúde Militar.
Ao desprezar as Associações dos Militares, está a alimentar um monstro sindical, que adquire momento, e ao qual nos opomos totalmente, mas que infelizmente se afirma nas Forças Armadas.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

PARAQUEDISMO

terça-feira, 21 de setembro de 2010

OUVI DIZER - 39

Os deputados do Reino Unido, na "Mãe dos Parlamentos",

1 . não têm lugar certo onde sentar-se, na Câmara dos Comuns;
2 . não têm escritórios, nem secretários, nem automóveis;
3 . não têm residência (pagam pela sua casa em Londres ou nas províncias);
detalhe: e pagam, por todas as suas despesas, normalmente, como todo e qualquer trabalhador;
4 . não têm passagens de avião gratuitas, salvo quando ao serviço do próprio Parlamento.

E o seu salário equipara-se ao de um Chefe de Secção de qualquer repartição pública.

Em suma, são SERVIDORES DO POVO e não PARASITAS do mesmo.

A propósito, sabiam que, em Portugal, os funcionários não deputados que trabalham na Assembleia têm um subsídio equivalente a 80 % do seu vencimento? Isto é, se cá fora ganhasse 1000,00 ¤ lá dentro ganharia 1800,00 ¤. Porquê? Profissão de desgaste rápido? E por que é que os jornais não falam disto?

Porque têm medo? Ou não podem?

E não conseguem baixar a despesa pública ?????

domingo, 19 de setembro de 2010

CONVENÇÃO DISTRITAL (SETÚBAL) PSD

Realizou-se ontem a primeira convenção distrital (Setúbal) do PSD.

Foi um evento de enorme importância para o partido ganhar o futuro.

É de lamentar a ausência de alguns elementos nomeadamente autarcas, por isso pedi que no futuro fosse feito o apelo que aqueles elementos tenham o sentido da responsabilidade para estarem presentes em eventos do partido.

Por outro lado considero importante o partido numa época reformista do Estado estudemos a junção de serviços municipais entre concelhos vizinhos.
Propus que o partido expresse uma posição contra o facto de os TST cobrarem às populações os passes sociais mais caros por quilómetro percorrido na Área Metropolitana de Lisboa.

Por fim, tratou-se de evento de enorme relevo para o futuro e como mola impulsionar para ganhar o poder autárquico no distrito que tem sido desbaratado ao longo destes anos pelas forças dominantes.

sábado, 18 de setembro de 2010

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

OUVI DIZER - 38

Para facilitar a integração de novos funcionários dos novos Estados-Membros da UE (Polónia, Malta, países da Europa Oriental ...), os funcionários dos países membros antigos (Bélgica, França, Alemanha ..) receberão da Europa uma prenda de ouro para se aposentar.

Porquê e quem paga isto?

Você e eu estamos a trabalhar ou trabalhámos para uma pensão de miséria, enquanto que aqueles que votam as leis se atribuem presentes de ouro.

A diferença tornou-se muito grande entre o povo e os "Deuses do Olimpo!" Devemos reagir por todos os meios começando por divulgar esta mensagem para todos os europeus.

É uma verdadeira Mafia a destes Altos Funcionários da União Europeia ....

Os tecnocratas europeus usufruem de verdadeiras reformas de nababos ...
Mesmo os deputados nacionais que, no entanto, beneficiam do "Rolls" dos regimes especiais, não recebem um terço daquilo que eles embolsam.

Vejamos! Giovanni Buttarelli, que ocupa o cargo de Supervisor Adjunto da Protecção de Dados, adquire depois de apenas 1 ano e 11 meses de serviço (em Novembro 2010), uma reforma de 1 515 € / mês. O equivalente daquilo que recebe em média, um assalariado francês do sector privado após uma carreira completa (40 anos)..

O seu colega, Peter Hustinx acaba de ver o seu contrato de cinco anos renovado. Após 10 anos, ele terá direito a cerca de € 9 000 de pensão por mês.

É simples, ninguém lhes pede contas e eles decidiram aproveitar ao máximo. É como se para a sua reforma, lhes fosse passado um cheque em branco.

Além disso, muitos outros tecnocratas gozam desse privilégio:
1. Roger Grass, Secretário do Tribunal Europeu de Justiça, receberá € 12 500 por mês de pensão.
2. Pernilla Lindh, o juiz do Tribunal de Primeira Instância, € 12 900 por mês.
3. Damaso Ruiz-Jarabo Colomer, advogado-geral, 14 000 € / mês.
Consulte a lista em:
http://www.kdo-mailing.com/redirect.asp?numlien=1276&numnews=1356&numabonne=62286

Para eles, é o jackpot. No cargo desde meados dos anos 1990, têm a certeza de validar uma carreira completa e, portanto, de obter o máximo: 70% do último salário.

É difícil de acreditar ... Não só as suas pensões atingem os limites, mas basta-lhes apenas 15 anos e meio para validar uma carreira completa, enquanto para você, como para mim, é preciso matar-se com trabalho durante 40 anos, e em breve 41 anos.

Confrontados com o colapso dos nossos sistemas de pensões, os tecnocratas de Bruxelas recomendam o alongamento das carreiras: 37,5 anos, 40 anos, 41 anos (em 2012), 42 anos (em 2020), etc. Mas para eles, não há problema, a taxa plena é 15,5 anos... De quem estamos falando? Originalmente, estas reformas de nababos eram reservadas para os membros da Comissão Europeia e, ao longo dos anos, têm também sido concedida a outros funcionários. Agora eles já são um exército inteiro a beneficiar delas:: juízes, magistrados, secretários, supervisores, mediadores, etc.

Mas o pior ainda, neste caso, é que eles nem sequer descontam para a sua grande reforma. Nem um cêntimo de euro, tudo é à custa do contribuinte ...
Nós, contribuímos toda a nossa vida e, ao menor atraso no pagamento, é a sanção: avisos, multas, etc.

Sem a mínima piedade. Eles, isentaram-se totalmente disso. Parece que se está a delirar!

Esteja ciente, que até mesmo os juízes do Tribunal de Contas Europeu que, portanto, é suposto « verificarem se as despesas da UE são legais, feitas pelo menor custo e para o fim a que são destinadas », beneficiam do sistema e não pagam as quotas.

E que dizer de todos os tecnocratas que não perdem nenhuma oportunidade de armarem em «gendarmes de Bruxelas» e continuam a dar lições de ortodoxia fiscal, quando têm ambas as mãos, até os cotovelos, no pote da compota?

Numa altura em que o futuro das nossas pensões está seriamente comprometido pela violência da crise económica e da brutalidade do choque demográfico, os funcionários europeus beneficiam, à nossa custa, da pensão de 12 500 a 14 000 € / mês após somente 15 anos de carreira, mesmo sem pagarem quotizações... É uma pura provocação!

O objectivo é alertar todos os cidadãos dos Estados-Membros da União Europeia. Juntos, podemos criar uma verdadeira onda de pressão.

Não há dúvida de que os tecnocratas europeus continuam a gozar à nossa custa e com total impunidade, essas pensões. Nós temos que levá-los a colocar os pés na terra.

«Sauvegarde Retraites» realizou um estudo rigoroso e muito documentado que prova por "A + B" a dimensão do escândalo. Já foi aproveitado pelos media.

http://www.lepoint.fr/actualites-economie/2009-05-19/revelations-les-retraites-en-or-des-hauts-fonctionnaires-europeens/916/0/344867

terça-feira, 14 de setembro de 2010

OUVI DIZER - 37

Dirigente do PS com licenciatura duvidosa

O secretário nacional adjunto do PS, e homem de confiança de José Sócrates, André Figueiredo apresenta-se como advogado e jurista, mas um professor de Direito da Universidade Internacional da Figueira da Foz (UIFF) garante que o político não terá completado o curso.



André Figueiredo inscreveu-se em 1995 na UIFF e, meses antes de o estabelecimento de ensino ser encerrado pela tutela, em Novembro de 2009, pediu um certificado de habilitações. Mas, para completar a licenciatura, faltava--lhe a aprovação na cadeira de Estágio Curricular, correspondente a 200 horas numa instituição ou entidade, findas as quais teria de apresentar um relatório e fazer a respectiva defesa oral perante o professor.

Tiago Castelo Branco, advogado, à data docente e coordenador da disciplina de Estágio Curricular na UIFF, disse ontem ao CM que não avaliou o aluno: "Não lhe dei qualquer avaliação à disciplina de Estágio Curricular. Ele não apresentou uma proposta de estágio nem se deslocou aos serviços académicos para a universidade lhe arranjar uma entidade onde pudesse fazer o estágio."

Segundo o professor universitário, o secretário nacional adjunto do PS só poderia obter aprovação à disciplina através da acreditação de competências – processo que, ao que sabe, não foi desencadeado. Isto porque, após o encerramento da UIFF, o conselho científico da faculdade não voltou a reunir-se. "Parece-me que o conselho científico não existia e não me foi pedida qualquer avaliação ou parecer relacionado com o aluno em causa", explica.

No entanto, já em Janeiro de 2005 André Figueiredo assinou um parecer no boletim trimestral da Comissão Nacional de Eleições, enquanto membro do Gabinete Jurídico do organismo público. Ainda em 2005, o então militante da JS candidatou-se ao Conselho Jurisdicional da Federação Portuguesa de Triatlo, escrevendo no currículo "Licenciado em Direito – Advogado". Em Abril de 2009, deu uma conferência na Guarda onde se apresentou como advogado.

Acrescento à noticia que este "expert" em eleições foi afastado do STAPE, como colaborar temporário e na saída do governo socialista de António Guterres, foi entregue um subsidio para o trabalho de investigação que desenvolveu integrado numa equipa do ISCTE.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

sábado, 11 de setembro de 2010

11 de SETEMBRO


Faz nove anos que ocorreu o maior ataque terrorista à civilização ocidental. O mundo mudou e caminha-se para uma nova ordem mundial. Os povos procuram a maior paz e concórdia. Apesar de valores diferentes entre várias sociedades o 11 de Setembro uniu de uma forma global aqueles que querem salvar o Planeta.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

RECORDANDO FORÇA AÉREA PORTUGUESA

LARGO BOAL


Conta-se que este é o local que homenageia o antepassado que deu origem ao apelido BOAL. Localiza-se na aldeia de Justes - Vila Real

terça-feira, 7 de setembro de 2010

ALCINO ROQUE


Hoje, redescobri a noticia acima apresentada. Unem-me laços de muita amizade e afinidade ao Cor. Alcino Roque. Foi um brilhante piloto militar, respeitado na hierarquia das Forças Armadas e foi sempre um homem de coragem. Ensinou-me muito!

Acompanhei muito do processo que o levou ao afastamento das funções que desempenhava com brilhantismo, rigor e imparcialidade nas decisões.
Foi com ele que aprendi a conhecer o lado bem nefasto do então Ministro de Defesa, Paulo Portas, a quem faltou coragem para ouvir um militar da craveira do Cor. Alcino Roque.

Paulo Portas com o afastamento do então Sub-Director da PJM e da forma vergonhosa como procedeu, deu cobertura a que certos processos de investigação sobre corrupção e de segurança do Estado não obtivessem os resultados desejados.

Espero um dia poder contar ainda muitos episódios daquela época!

domingo, 5 de setembro de 2010

sábado, 4 de setembro de 2010

A SOPA DA PEDRA


Enconttrei esta narrativa sobre a história da famosa "Sopa na Pedra" tradicional de Almeirim e como homenagem as gentes daquelas paragens entendi colocar o texto respectivo.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

OUVI DIZER - 36

19 Março 2009 - 00h30
Património: Sacerdote é membro do Conselho económico e social
Padre Melícias com pensão de 7450 euros



O padre Vítor Melícias, ex-alto comissário para Timor-Leste e ex-presidente do Montepio Geral, declarou ao Tribunal Constitucional, como membro do Conselho Económico e Social (CES), um rendimento anual de pensões de 104 301 euros. Em 14 meses, o sacerdote, que prestou um voto de obediência à Ordem dos Franciscanos, tem uma pensão mensal de 7450 euros. O valor desta aposentação resulta, segundo disse ao CM Vítor Melícias, da "remuneração acima da média" auferida em vários cargos.
Vítor Melícias entregou a declaração de rendimentos no Tribunal Constitucional em 2 de Fevereiro de 2009, mais de um ano após a instituição presidida por Rui Moura Ramos ter clarificado a interpretação da lei que controla a riqueza dos titulares de cargos políticos. A 15 de Janeiro de 2008, o Tribunal Constitucional deixou claro que, ao abrigo da lei 25/95, 'de entre os membros que compõem o CES, se encontram vinculados ao referido dever [de entrega da declaração de rendimentos] aqueles que integrem o Conselho Coordenador e a Comissão Permanente de Concertação Social, bem como o secretário-geral'.
Com 71 anos, Vítor Melícias declarou, em 2007, ao Tribunal Constitucional um rendimento total de 111 491 euros, dos quais 104 301 euros de pensões e 7190 euros de trabalho dependente. 'Eu tenho uma pensão aceitável mas não sou rico', diz o sacerdote.
Melícias frisa que exerceu funções com 'remuneração acima da média, que corresponde a uma responsabilidade acima de director-geral', no Montepio Geral, na Misericórdia de Lisboa, no Serviço Nacional de Bombeiros e noutros organismos.