quarta-feira, 11 de outubro de 2017

DECLARAÇÃO DE CIDADANIA – ANTI CORRUPÇÃO

Dia 11 de Outubro de 2017 publicamente será um dia especial para alguns cidadãos, como eu. Desde 2004 que depois de injúrias, perseguições, tentativas de ataque em diversas formas física e não só, até a procura de estrangulamento financeiro sinto-me compensado parcialmente. Nunca fiz parte de nenhuma “cabala” como foi dito e publicado em 2005 numa estratégia para inventar atos de corrupção sobre o cidadão José Sócrates Pinto de Sousa. À minha volta tive gente de carater que me forneceu dados e pagamentos sobre a Freeport e outros que não tiveram a coragem de carater em sede de investigação apresentar os mesmos dados. Politicamente, o partido que então militava, CDS-PP e com responsabilidades políticas tiraram-me o tapete, porque tinham telhados de vidro na ligação ao então BES; lembrem-se do famoso “Jacinto Leite Capelo”. Se na época alguns políticos, donde excluo Pedro Santana Lopes, não se tivessem acobardado muito provavelmente Portugal não teria tido uma Troika e sofrido horrores na população. Chegou o momento de assumir com a acusação de corrupção a José Sócrates entre outros crimes; já dei orientações à minha advogada para constituir-me como assistente do processo. Aproveito, um reconhecimento à Dra. Ana Santinho porque sempre esteve ao meu lado na luta contra “os elefantes brancos” mesmo quando foi vítima de assaltos e perseguições. Deixemos de fingir que a política não se mistura com a justiça, porque este chavão tem sido fonte de benefícios para alguns maus governantes. Não desisto de lutar por uma sociedade mais justa e limpa para dignidade do ser humano. Zeferino Boal

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

NOTICIAS DE VILA REAL 17AGO02

2º ENCONTRO DOS "BOAL"

sexta-feira, 21 de julho de 2017

segunda-feira, 26 de junho de 2017

segunda-feira, 22 de maio de 2017

terça-feira, 25 de abril de 2017

43 ANOS DEPOIS - COMO ESTAMOS ?

Não sou antigo, nem kota, nem velho. Sinto-me menos revolucionário ou reaccionário, com mais sabedoria, com mais tolerância, mais livre e de bons costumes e fraterno para com os outros, procurando sempre o serviço causa pública "Eques a obsequim", sem receio nem temor. Não sou saudosista do império materialista e fronteiriço, mas sim saudosista do futuro do Império Espiritual que une povos e culturas com os mesmos denominadores comuuns. Somos todos cidadãos e com mais direitos e deveres que a moeda, a qual é um instrumento de uso do Homem, consequentemente os cidadãos deveriam circular livremente pelo Mundo e não a moeda. Não adianta dizer que antigamente é que era bom, porque se o presente é o que é, foi porque todos contribuídos para a mudança de geração em geração e assim vai continuar a ser no futuro. Não vergarei à intolerância, não vergarei no combate à corrupção que destrói o ser humano e os povos, não deixarei de continuar a expressar o que penso: quero uma cidadania lusófona plena e integra!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017