segunda-feira, 20 de julho de 2015

quarta-feira, 8 de julho de 2015

CITANDO MÁRIO CAETANO

Um agradecimento aos bombeiros voluntários, pelo trabalho em prol da sociedade, ambiente, fauna e flora, ou mais não seja pela simples máxima de "vida por vida". Portugal regista 5.703 hectares ardidos nos últimos 20 grandes incêndios, em conformidade com os dados da Comissão Europeia, infelizmente incompletos por falta de referência, lamento profundamente. Em dois dias, cinco bombeiros feridos, além de danos materiais, sem cobertura ou palavra das alegadas tutelas. O presidente da entidade é escusado, não escrevo nomes, devia prestar contas noutro sítio. Aliás, desculpem o desabafo, farto delas todas que não sabem o que decidem sem saber ligar uma mangueira. Na maioria eleitos por partidos ou outras cumplicidades, que os ou as fazem chegar a comandante de coisa nenhuma, mas dão ordens e bem remunerados. Começo a ficar cansado de campanhas de prevenção e projetos de intervenção no inverno, que entretanto também ardem, oficiais superiores que absorvem postos e lugares de comando, bem-falantes e de boa imagem frente as camaras de televisão. No entanto, Portugal, o meu país, continua a arder. Para que fique claro, foram os GIPS da GNR que safaram o piloto que espetou o helicóptero em Lamoso, Paços de Ferreira, aeronave com 1836 horas de voo diz a empresa. Quanto ao comandante do heli ligeiro, a empresa diz que “tem 37 anos, cerca e 1500 horas de experiência de voo”. Será que tem mesmo a experiência divulgada, ou teremos que retirar dois zeros às horas tornadas públicas? Fica a homenagem e o reconhecimento a quem verdadeiramente combate as chamas, os Bombeiros.